terça-feira, fevereiro 03, 2004

Untitled

Certamente todos se lembram dos programas de rádio de músicas pedidas, não? É até bem possível que algumas hoje em dia ainda tenham esse programa. Bem, hoje não trago até vós um programa de músicas pedidas (mas porque não um dia destes....), mas antes um “tema pedido”. Ontem falava no Messenger com o meu primo André, e ele sugeriu-me que, a propósito da minha despedida de Maastricht, falasse algo do “saudosismo – esse sentimento tão português”. E é isso mesmo que vou fazer...

Saudosismo – esse sentimento tão português

Pode-se (acho eu) dizer que o povo português é um tanto ou quanto saudosista. Primeiro que tudo porque alguns traços da cultura portuguesa são eminentemente saudosistas, como por exemplo o FADO. A sua tristeza, o seu descontentamento com a ordem das coisas, os lamentos, tornam o FADO, porque não, saudosista... Depois, há também um traço nos portugueses (que não sei explicar ou definir claramente, nem sei se é somente português), que eu identifico também como saudosista... É aquele sentimento que nos fica na alma quando temos saudades de alguém, de algum momento bom por que passámos. Agora que penso melhor, acho que não é de todo exclusivamente português esse sentimento!
Por outro lado, o povo português está sempre à espera que um D. Sebastião volte numa manhã de nevoeiro montado no seu cavalo branco; e acaba por se iludir por vezes numa espera infrutífera por um remédio milagroso para todos os males da sociedade que nunca chegará, em vez de se mexer, de tentar mudar as coisas, de lutar... Esse “sentar-se à espera de uma solução” é também, para mim, saudosista, mas não consigo explicar melhor.
Depois há também a questão linguística: os portugueses dizem que a palavra “saudade” é uma palavra exclusivamente portuguesa, e que mais nenhuma cultura sabe ou tenta exprimir esse sentimento. Bem, para mim isso é um tanto ou quanto petulante... De facto até hoje nunca encontrei nenhuma palavra que noutra língua tentasse exprimir exactamente o mesmo que a nossa “saudade”, mas segundo o Daniel, tal palavra existe em Alemão (como não o encontrei antes de fazer esta POSTA não sei qual é). É também verdade que, embora não com o mesmo significado literal, há palavras noutras línguas cujo significado se aproxima. Não dizem que “tenho saudades”, mas geralmente que “sinto falta de algo”; acho que é uma aproximação razoável.
Em jeito de súmula: acho que não é um sentimento EXCLUSIVAMENTE português, mas no entanto sinto que a “alma portuguesa” é, por definição, saudosista!
Agora passo ao porquê desta POSTA: embora tenha sido sugestão do André, porquê logo hoje? Para os leitores menos informados eu explico. Amanhã de manhã deixo Maastricht. Acaba-se o meu Erasmus e volto a Portugal. Será óptimo voltar a casa, e estar rodeado daqueles que amo e de que sinto falta, mas será também difícil deixar esta cidade de que gosto tanto, onde fiz imensos amigos, e onde passei tão bons momentos.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home